Reservas
+55 75 99865 0714 / 1048
Reservas

História - Morro de São Paulo, Bahia

A história de Morro de São Paulo é tão antiga que se confunde com a própria história do Brasil.

Martin Afonso de Souza desembarca na ilha em 1531 comandando uma expedição destinada a explorar toda a costa. Sob a jurisdição da capitania de São Jorge dos Ilhéus, Jorge de Figueiredo Correa recebeu a propriedade de D.João III, e designou o tenente espanhol Francisco Romero para a colonização das terras que, no dia 29 de junho de 1535, dia de São Pedro e São Paulo, funda a vila e batiza com o nome de Morro de São Paulo. Nascia o primeiro povoado da Capitania de Ilhéus. Em 1610 a família Saraiva Goes inicia a construção da igreja Nossa Senhora da Luz, onde hoje fica o Farol.

Devido à sua localização geográfica privilegiada, a região foi cenário de inúmeros ataques de esquadras francesas e holandesas, verdadeira zona franca de corsários e piratarias durante o período colonial. Começa, em 1630, a construção da Fortaleza de Morro de São Paulo, cujas obras se estenderam até 1739 e com várias etapas de ampliações. Em 1750 contava com 51 peças de artilharia espalhadas nos seus 700 metros de muralha, guarnecida por 183 homens, mas já em 1774 boa parte da fortificação foi destruída por uma tempestade.

  • Morro PB I
  • Morro PB III
  • Morro PB IV

Em 1746 fora iniciadas as obras da Fonte Grande, destinada a tratar a água da população da vila.
As guerras napoleônicas fizeram a corte portuguesa se refugiar no Brasil, mas sua fixação no Rio de Janeiro causa muito descontentamento na Bahia e em todo o Nordeste, que entra numa era de decadência. O resultado desse quadro é que D. Pedro proclama a independência do Brasil, em 1822, temendo que alguém o fizesse antes dele, tornando-se o primeiro Imperador do Brasil.

Em 1823 Lord Thomas Cochrane estabelece a base da primeira esquadra brasileira em Morro de São Paulo, lutando pela independência brasileira, que se efetivou com a expulsão dos portugueses de Salvador, em 2 de julho. Nestas lutas grande parte do arsenal de Morro foi transferido para a capital.

Em 1855 inicia-se a construção do atual Farol e em 1859 D. Pedro II visita Morro de São Paulo.
Em 1992 acontece no Rio de Janeiro a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a ECO-92, que teve seus reflexos no arquipélago, com o decreto da Área de Proteção Ambiental das Ilhas de Tinharé e Boipeba.
A ilha, um tanto alheia às reviravoltas políticas e econômicas do país nas últimas décadas, passa a receber turistas do mundo todo, levando daqui lembranças de uma ilha paradisíaca, que apesar de ter estado no centro de muitos fatos de nossa história, resiste bravamente com suas belezas naturais e o ritmo pacato dos ilhéus.

Fechar